O ambiente escolar personalizado

Não é descabido pensar que a autonomia está no coração de um ambiente escolar personalizado. O sentido de pertença e a ausência de anonimato favorece o sentimento de segurança. A existência de um âmbito real de iniciativa pessoal, assim como o trabalho cooperativo – no qual os alunos e professores desenham, planificam, realizam e avaliam – originam um ambiente escolar personalizado que contribui a que os estudantes vão sendo cada vez mais capazes de se projetar e de atuar de acordo com o próprio critério. Paulatinamente, tornam-se capazes de organizar um plano de atividades até chegar ao desenho e realização de um projeto pessoal de vida no qual utilizem os elementos positivos oferecidos pelo ambiente, ao mesmo tempo que  se tem critério e vigor espiritual para afastar os estímulos incompatíveis com a dignidade humana.

A educação personalizada apresenta uma exigência peculiar em relação ao ambiente. Considerando que a abertura é uma das condições da pessoa humana, a abertura do ambiente constitui um fator indispensável para o desenvolvimento pessoal. A educação personalizada exige uma adaptação ao ambiente, mas também um disposição para modificá-lo naqueles aspectos que podem ser melhorados.

Uma pesquisa realizada por McLaughlin[1] no Centro de Pesquisa do Contexto da Educação Secundária da Universidade de Stanford, na Califórnia, sobre a “construção de um ambiente escolar personalizado”, concluiu que a personalização do ambiente implica:

A existência de vínculos pessoais e proximidade entre estudantes e professores (isto é, relações que vão mais além do puramente didático ou técnico)

 O desaparecimento do anonimato na massa escolar;
 A mútua projeção ou reflexo da vida escolar e a vida fora da escola;
 Sentido familiar e peculiar atenção a cada estudante;
 Espírito de iniciativa, flexibilidade e autonomia nos professores e nos estudantes.

A influência das pessoas no ambiente se dá não tanto por atos isolados e esporádicos, mas por condutas habituais (hábitos). São elas que promovem, reforçam ou enfraquecem um estilo de comportamento coletivo. Dito isso, podemos inferir que a possibilidade de modificar o ambiente radica na posse, formação e exercício de alguns hábitos que estejam de acordo com o ambiente que se quer construir.

Uma maneira de criar um ambiente

Lembremos que as ações incidentais refletem a espontaneidade da vida diária. Na medida em que um professor possa usar as ações incidentais disporá de um meio importante para criar e reforçar um ambiente escolar adequado, ao mesmo tempo que contribui à formação de hábitos fundamentais para a pessoa.

Os estudos feitos por García Hoz[2] indicam a existência de três tipos de ações incidentais:

  1. Ações referidas ao cuidado e uso das coisas: ter a mesa de trabalho em ordem, apenas com o material que se usará; fechar portas e janelas com cuidado; etc.
  2. Ações referidas ao convívio social: cumprimentar as pessoas; agradecer; falar sem gritar; sabe aceitar a decisão da maioria; etc.
  3. Ações referidas ao porte pessoal: estar bem vestidos; usar adequadamente os talheres e o guardanapo; etc.

Texto extraído e adaptado de Carrasco, Javaloyes e Calderero Hernández. Cómo personalizar la educación – una solución de futuro, Madrid, Ed. Narcea, 2011


[1] McLaughlin, M. W.  et alii, 1990: Constructing a Personalized School Environment, em Phi Delta Kappan, novembro: 220-250).

[2] “Ambiente, organización y diseño educativo”, Tratado de Educación Personalizada, Madrid, Rialp,  1991. vol. 1: 23-24 e 252-254.

Foto: Colégio Monte Alto – RJ

blog2

Em que consiste a Educação Personalizada?

A Educação Personalizada, adotada no Serra&Mar, é um modelo educacional que fundamenta sua tarefa educativa na formação integral de cada aluno como ser pessoal e social.

Considerada a espinha dorsal de todo nosso projeto educativo, orienta assim todo o trabalho escolar: currículo, qualificação e capacitação do corpo docente e demais profissionais, planejamentos de aula, estrutura física, jogos e brincadeiras etc.

Na Educação Personalizada, pais, professores, alunos e funcionários unem-se em uma verdadeira comunidade educativa, na qual tudo educa, desde um “bom dia” dado com alegria, até um chão bem limpo da sala de aula. Dessa forma, cada parte do espaço escolar torna-se um efetivo estímulo para que o aluno seja educado com excelência acadêmica, mas também com excelência humana, com desenvolvimento de valores, hábitos e virtudes.

Educação Integral
As orientações fundamentais da Educação Personalizada derivam de três características do conceito de Pessoa: singularidade, autonomia e abertura.

singularidade é que distingue uma pessoa das demais. Uma consequência da singularidade do ser humano é a originalidade própria de saber que somos únicos, em temperamento, caráter e bagagem genética e cultural e, portanto, capazes de criar e transformar a nós mesmos e o que nos circunda. É por meio de sua capacidade criadora que o homem é capaz de realizar obras originais, encontrando novas soluções para problemas e gerando o progresso da sociedade.

Em virtude da autonomia, a pessoa é, de certo modo, princípio de suas ações. A autonomia, portanto, é a capacidade do homem de governar-se segundo suas ideias, sendo ele a lei de si mesmo, com posse e uso efetivo de sua liberdade e, consequente, responsabilidade.

Toda relação humana é comunicação e exige, portanto, o desenvolvimento da capacidade dessa comunicação como canal de abertura nos seus mais diversos âmbitos. O primeiro âmbito onde o homem exerce sua abertura é na família. Nela, surgem relações afetivas especiais que não se dão em nenhum outro tipo de comunidade e, por isso, a família é um dos pilares da Educação Personalizada.

A formação integral do Serra&Mar contribui para o desenvolvimento dessas três características (singularidade, autonomia e abertura), por meio do trabalho educativo dos cinco aspectos constitutivos do ser humano: Físico, Intelectual, Volitivo (hábitos), Afetivo e Transcendente.

Pilares da Educação Personalizada

  • Formação integral da pessoa, nas suas cinco dimensões (física, intelectual, volitiva, afetiva e transcendente).
  • Visão transcendente do ser humano, com base em uma antropologia cristã inspirada nos ensinamentos da Igreja Católica.
  • Os pais como os primeiros e principais educadores: a integração família-escola, cada qual cumprindo o papel que lhe cabe, é fundamental para o sucesso do projeto educacional proposto pela Viraventos.
  • Excelência humana e acadêmica: a escola investe na formação continuada de seus professores e funcionários para que possam exercer com qualidade e profissionalismo um serviço cada vez melhor e à altura da qualidade exigida pelo Serra&Mar.

O êxito ou o fracasso de um processo educacional não está tanto neste ou naquele método utilizado ou na estrutura material, necessária como um esqueleto que sustenta um corpo. O sucesso de um modelo educacional está, sim, no que chamamos de “educação invisível”. Aquela que não aparece explicitada entre métodos, programas, conteúdos e técnicas, mas que cala fundo na alma do educando. Para nós, a tarefa de educar dirige-se ao núcleo pessoal do ser humano, aquele núcleo que faz de cada pessoa um ser irrepetível, singular e insubstituível.